Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

16.Abr.07

OS HÁBITOS SEXUAIS E A SAÚDE

É indiscutível que os comportamentos condicionam a saúde individual de cada um. É por isso que se revela importante a promoção de comportamentos adequados e informados e a prevenção de comportamentos de risco.

Entre os comportamentos que se relacionam com a saúde incluem-se os hábitos sexuais. Mas afinal os hábitos sexuais são frutos da influência de um determinado ambiente familiar ou da educação? Até que ponto se revelam importantes temáticas como a educação sexual nas escolas? Ou será que os hábitos sexuais são inatos, resultantes de circunstâncias fortuitas ou do puro instinto? São meros comportamentos repetidos? Escondem valores essenciais?

Claro que um dos primeiros passos importantes para que uma pessoa possa viver bem com o seu corpo e cultive a sua saúde é conhecer e conviver com a sua sexualidade. A sexualidade que consiste no conjunto de atributos anatómicos e fisiológicos que caracterizam cada sexo e que é diferente não só do acto sexual, como da reprodução. A saúde sexual e reprodutiva deve ser preservada e é importante que haja uma educação nesse sentido, que se percam preconceitos e tabus, para que se possa promover a saúde.

Na promoção da saúde sexual é importante ter em conta a existência ou não de desejo sexual e de prazer, os tipos de relações sexuais que se estabelecem, a presença de criatividade nas mesmas e a distinção entre a normalidade e a disfunção sexual. A atenção a todos estes tópicos revela-se fundamental para a manutenção de uma saúde sexual.

É neste sentido que se revela imprescindível a educação sexual que não se pode restringir à adolescência, mas que se prolonga por toda a vida. A informação sexual é importante e aumenta os aspectos cognitivos mas, por si só, não altera comportamentos. É importante que exista mesmo uma educação sexual, no sentido de modelar os comportamentos das pessoas.

Esta educação não pode ser apenas iniciada nas escolas, tem de ir muito além disso. Deve ser estimulada no seio familiar, entre os colegas, pelos meios de comunicação (com grande projecção na população) e a própria pessoa deve procurar informar-se e auto-educar-se. A educação sexual inclui sempre a informação, os valores individuais e os comportamentos e a modelação dos mesmos, de acordo com a informação recebida e de forma harmoniosa com os valores de cada um.

Os valores afectivo-sexuais revelam-se importantíssimos na saúde dos indivíduos, embora muitas vezes os próprios não o reconheçam. Os tipos de relações sexuais mantidas, a noção e importância de fidelidade ou de virgindade, a obtenção ou não de prazer, o desejo, o controlo dos instintos ou ainda as atitudes perante questões como a interrupção voluntária da gravidez ou a homossexualidade são assuntos importantes que cada indivíduo deve ponderar e sobre os quais deve conversar com o seu parceiro.

No âmbito da prevenção o grupos dos jovens tem particular destaque. É importante que sejam estimulados a desenvolver, desde cedo, a promoção da sua saúde sexual, através do aconselhamento médico. Revela-se assim importante a consulta ginecológica e o planeamento familiar, o aconselhamento na escolha do contraceptivo, a atenção ao número de parceiros sexuais e a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DTS).

Os comportamentos sexuais acabam por revelar-se em situações preocupantes como a maternidade na adolescência, uma realidade cada vez mais comum, ou o aumento da incidência da SIDA

Concluindo, a promoção para a saúde sexual e a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis é importante para a manutenção da saúde, não apenas física, mas também psicológica de cada indivíduo e deve passar pela informação e educação sexual.

“Só há um templo no mundo e é o corpo humano. Nada é mais sagrado que esta forma sublime. Inclinar-se diante de um homem é fazer homenagem a esta revelação na carne. Toca-se o céu quando se toca um corpo humano.”

Friedrich Novalis